A nova Comunicação Social

É normal estarmos a falar de jornais, televisão e rádio quando se usa a expressão Comunicação Social (CS). Hoje em dia já se aceita o papel da Internet como meio de comunicação de massas. Mas dadas as alterações que temos visto ultimamente, temos de reavaliar o conceito.

Temos visto surgir na web coisas como:

  • Software Online (que chega a substituir o Microsoft Office);
  • Maior oferta de banda larga sem fios;
  • Produção de conteúdos por parte de qualquer pessoa, graças a telemóveis, máquinas digitais, fotográficas e de vídeo e outros dispositivos portateis;
  • Difusão de conteúdos através de sites sociais (flickr, youTube e outros) e de blogs;
  • Consumo desses mesmos conteúdos com dispositivos portáteis (iPod, Zune, Zen…)
  • Maior interactividade entre os membros do público e até entre o público e o produtor.

Com tudo isto, podemos colocar uma mensagem online e fazê-la chegar a um público (pelo menos) tão vasto como o da Televisão. Com o bónus que na net os conteúdos raramente morrem, só se esquecem.

Essa mensagem ou conteúdo, poderá receber feedback e gerar diálogo. Estamos a falar do mesmo diálogo que se gera no café, entre amigos que comentam a mesma noticia do jornal ou da tv. A facilidade com que agora acedemos à Internet e comunicamos uns com os outros veio colocar o diálogo numa escala muito maior. Por isso é que no meu ponto de vista se deve colocar qualquer membro da sociedade de comunicação dentro da noção de Comunicação Social.

Se fizermos isso podemos arriscar que os meios de comunicação de massas têm um raio de influência maior. O que não quer dizer que seja mais eficaz que o diálogo que compõe parte da Comunicação Social.

2 thoughts on “A nova Comunicação Social”

  1. As possibilidades são muitas, mas o principal factor que impede que o que tu escreves aqui neste blogue tenha o mesmo impacto e chegue ao mesmo número de pessoas que uma peça no jornal da SIC ou um artigo no Público tem a ver com a dispersão. Apesar de tudo, o número de jornais, revistas, canais de televisão e estações de rádio é pequeno comparado com o número de sites, fóruns e blogues espalhados pela Internet.

  2. tens razão, e acrescento mais:

    ao contrário dos meios de comunicação de massa, o que se transmite na web pode ser recuperado no futuro. Os conteúdos online são mais persistentes.

    Além de que um produtor de conteúdos pode ganhar credibilidade, liderar o seu nicho e assim combater a dispersão por ter uma comunicação mais eficaz com o público que o segue.

Leave a Reply