As Agências de Comunicação na Assembleia

Uma notícia da Meios e Publicidade começa com:

O presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, afirmou ontem que os profissionais das agências de comunicação devem ter um acesso ao Parlamento semelhante ao dos cidadãos.”Há questões jurídicas que levam a não estender automaticamente aos funcionários destas empresas as condições de acesso permanente reservadas aos jornalistas parlamentares”

Fui apanhado de surpresa. Porque é que eu como cidadão não tenho as mesmas condições de acesso que um jornalista ? E quais são exactamente as diferenças nesse acesso?

Luis Paixão Martins tem vindo a representar a sua empresa, a LPM Comunicação, no que diz respeito à legislação dos Lobbies. Chegou a abordar o tema no seu blog.

O primeiro comentário a esta notícia, escrito por Sérgio Antunes, mostra logo a imagem que as agências de comunicação têm ao praticar lobbying.

(…)Já essas empresas tem como único objectivo fazer propaganda, marketing e publicidade e até conseguir dar a volta a alguns deputados com o objectivo de obter benefícios para os lobbies das empresas que representam!

Quer seja legislada ou não, as pessoas deviam ser informadas do que é exactamente o lobbying. No meu caso, sei que se trata da comunicação entre políticos e stakeholders/grupos de pressão, mas tenho uma série de dúvidas.

One thought on “As Agências de Comunicação na Assembleia”

Leave a Reply