Barcamp 2008

O barcamp de Coimbra decorreu este fim de semana e conseguiu reunir mais de 100 pessoas. Os temas das apresentações não se limitaram à tecnologia web, a comunicação e o design também tiveram o seu lugar no barcamp.

Fora das sessões, falou-se da intervenção de Moita Flores num debate da SIC. O Sérgio Rebelo tem um post onde podem ver o vídeo. Não houve rancor ou qualquer desrespeito pelas opiniões, apenas bom humor que se estendeu à criação de um perfil no twitter, e à colocação de fotos de Moita Flores em algumas apresentações.

Fora das sessões, os temas mais sérios focaram-se nas dificuldades de comunicação entre programadores e designers. Tendo a participação da Patrícia Furtado gerado o maior número de conversas sobre o tema.

Social Media Café

Participei no Barcamp com a apresentação do Lisbon Social Media Café. Uma importação do London Social Media Café, impulsionado por Lloyd Davis.

É uma ideia simples, reunir bloggers para conversar sobre social media, partilhar ideias e projectos.

Como se tratava de Social Media, achei que não fazia sentido apresentar com um powerpoint tradicional. Por isso toda a apresentação foi feita com o flowgram.

Lembrei-me de falar primeiro do papel da Geração de Orfeu e do Modernismo em Portugal, explicar um bocadinho o conceito de Social Media… E a perspectiva de Moita Flores no programa da SIC. Depois de apresentar alguns blogs de Terroristas dos Blogs, e a primeira Rede Terrorista gerou-se um diálogo interessante onde se expuseram os pontos fracos e fortes do Social Media Café.

A conversa sobre o social media café continua em aberto e existem várias formas de participar que não se limitam a ir aos encontros.

Só falta mesmo agradecer aos organizadores do Barcamp, notou-se que se esforçaram por acolher todos os participantes o melhor possível. E isso reflectiu no ambiente de convivio, dentro e fora das sessões.

Leave a Reply