bloggers, jornalistas e o panorama de comunicação

Surgiu o debate sobre a posição dos blogs nos meios de comunicação e as relações entre jornalistas e bloggers.
Esta conversa começou no blog Engrenagem de João Pedro Pereira e entrou em chamas com a reacção no Ramblings about life and tech. Concordo com o que disse JPP e percebo a posição do Carlos.

Parece é que se começou a perder o tópico inicial e se partiu para uma discussão mais acesa entre jornalistas e bloggers.

No ISCSP, tive aulas com o jornalista António Vilela. Nessas aulas falou-se muito do papel dos blogs, nos jornais e fora deles. Lembro-me de o ouvir comparar a maioria dos blogs à conversa de café, pouco sérios, pessoais e relativamente inofensivos. Continuo a vê-los como tal mas aceito que isso tem vindo a mudar.
Para mim, a questão de terem ou não uma posição de destaque nos jornais ou outros meios de comunicação faz-nos perder a perspectiva do que simbolizam. Através dos blogs há uma produção de conteúdos cada vez maior e estes conteúdos dividem-se entre os vários níveis de qualidade. A grande maioria divide-se pelos conteúdos mais banais, mas também temos conteúdos muito bons.

Há blogs sobre os mais variados assuntos e com tanto que é escrito: eles vão ser lidos, dê por onde der. E os conteúdos online dificilmente morrem. Consoante os temas, vemos surgir pequenas comunidades (ou nichos) de entusiastas ou de quem simplesmente tem algum interesse no assunto. É assim que de uma forma ou outra os blogs vão ter a sua medida maior ou menor de influência.

Tanto os jornalistas como as agências de comunicação vão ter de os aceitar. Não necessariamente como parte do seu circulo, mas como mais um elemento no panorama de comunicação em que vivemos. Quer queiram quer não. Podem usá-los como fonte, dar-lhes uma posição maior ou menor nos jornais ou outros meios de comunicação. Mas não são obrigados a isso.

Os bloggers por sua vez vão ter de assumir que o valor do seu blog não está em ser parte da blogosfera, mas sim na qualidade do que é escrito e de quem o escreve. Por isso é importante que se habituem a dar a cara pelo que escrevem.
Vai caber aos meios de comunicação social (e aos próprios bloggers) educar os seus públicos. Ensiná-los a perceber se um blog tem qualidade ou não. Uma das formas de conseguir isso é destacando os blogs que achamos bons.

Conclusão

Acho que uma conversa que começou bem está a desviar-se para uma guerra de jornalismo Vs. Blogging que não vai levar a lado nenhum.

Os blogs podem estar a perder terreno nos media tradicionais, mas isso era de esperar. Depois de um Boom costuma haver sempre um período mais calmo. Deixa-se a poeira assentar e de uma forma ou de outra tudo regressa à “normalidade”. Mas isso quer dizer que vão perder influência ? A influência dos blogs não deve ser vista como um efeito nas massas. Mas sim como um efeito num nicho.

De seguida devemos analisar o papel dos blogs na sociedade. Nesse campo é importante ensinar as pessoas a julgar por sí e a não se deixar enganar pela imagem do site. Visto que as plataformas de blog permitem aplicar designs profissionais com uma facilidade extrema.

Leave a Reply