Blogs de Nicho: Introdução

O Bruno convidou-me nestas ‘férias’ para que escrevesse um artigo como Guest Blogger sobre Blogs de Nicho. Achei o convite interessante e pensei logo em diversos pontos que queria tocar neste artigo, por isso mesmo optei por fazer uma série de artigos em vez de um só. Peço desculpa ao Bruno e aos seus leitores de tomar assim o espaço, mas esta série de artigos estender-se-á por toda a semana.

Antes de mais nada devo-me apresentar. Sou Sérgio Rebelo, Blogger, e mantenho, entre outros, o blog 2.5 do qual sei que o Bruno é leitor e comentador habitual. Publico também o Ponto Sapo, blog de Nicho sobre a Internet em Portugal, mais concretamente sobre as novidades e acompanhamento do maior portal português. Julgo que o Convite do Bruno para que escrevesse sobre o Tema se deve, em parte, ao Ponto Sapo.

A meu ver, a maioria das técnicas, cuidados e abordagens a ter nos Blogs de Nicho não são exclusivas dos Blogs de nicho, são válidas para a grande maioria dos Blogs.

Na realidade, ao falarmos de Blogs de Nicho estamos a falar de Blogs temáticos altamente especializados, mas a maioria dos Blogs já são temáticos. Muitas vezes têm mais do que um tema, de acordo com a experiência, envolvência e vontade dos seus autores, mas na essência falamos de publicações temáticas, muitas vezes focadas num nicho.

Os Blogs de Nicho podem assumir uma grande importância no panorama informativo especializado porque abordam temas que, dada a sua especificidade, não são cobertos pela media tradicional ou são relegados para colunas ou secções de publicações temáticas. Alguns Blogs acabam por se tornar referência para todos os que se interessam pelo nicho abordado. Os Blogs de Nicho exploram a Cauda Longa, cuja importância é cada vez mais reconhecida.

Os Blogs de nicho são também (ou deviam ser) fruto de desejo das Agências Publicitárias que têm neles, algo que se procurou sempre e sempre se continuará a procurar, que é a segmentização do Target. O preço de anunciar numa publicação temática (e quanto mais especializada for a publicação, mais isto é verdade) é bastante maior por cabeça do que numa publicação generalista. E isto acontece por uma simples razão: Sabemos a quem nos estamos a dirigir.

6 thoughts on “Blogs de Nicho: Introdução”

  1. na realidade podemos afirmar que toda a blogosfera é composta por blogs de nicho, a idealização do blog como “diário electrónico” perdeu força e muitos bloggers usam este meio para fazer valer os seus pontos de vista e a sua experiência em algumas áreas para as quais sentem poder contribuir… não é por acaso que a maioria dos blogs “temáticos” que vemos por aí se dedicam à informática e internet em geral, por exemplo.
    Quanto à exploração dessa blogosfera de nicho por parte das agências publicitárias acho-a em défice apenas em Portugal. O problema não é das agências por si só, o mercado do ciber-espaço é difícil de monitorizar e as previsões de retorno de investimento quando falamos em campanhas online são virtualmente (desculpem a redundância) impossíveis. Apesar disso a Google foi a primeira empresa a abanar as coisas introduzindo o google adsense, aliando-se à blogosfera de nicho traz ao público assíduo a cada blog uma publicidade que se enquadra com a temática desse blog.
    mas o grande problema da internet é mesmo esse com que termina o seu texto, na internet, por muito que pensemos o contrário, apenas pensamos que sabemos a quem nos estamos a dirigir!!!

  2. Gil, antes de mais, Muito obrigado pelo comentário.
    Concordo que ainda há muito a percorrer em termos de Agências em Portugal e que, de facto há poucos Blogs de Nicho em Portugal fora das Tecnologias, mas estamos a progredir. Posso dar exemplos de vários Blogs de Nicho muito bons, alguns deles na TubarãoEsquilo, rede na qual eu também me encontro integrado.

    Quanto à última afirmação do meu texto, mantenho-a. É verdade que grande parte das vezes não conseguimos saber realmente quem nos lê, mas quando entramos no nicho, sabemos muito sobre os nossos leitores. É verdade que não sabemos tudo, mas é muitas vezes o suficiente. E quanto mais especializado o nicho for, mais se saberá sobre o segmento de leitores.

    João, obrigado. A continuação seguirá aqui ao longo desta semana.

Leave a Reply