Como eu descobri o melhor recurso de bibliografia online para comunicação e relações públicas

No ISCSP pediam-nos um trabalho de investigação por semana. Isto no segundo ano do curso, antes de Bolonha.

Como seria de esperar, a maior parte da pesquisa era feita online. O problema era encontrar fontes credíveis. Os blogs nem sempre estão bem identificados, e as instituições que publicam conteúdos sobre o tema concentram-se nas notícias.

A solução veio através da Biblioteca Online de Ciências da Comunicação (BOCC). É um projecto da Universidade da Beira Interior que reúne textos de teor académico, devidamente identificados.

Os temas vão desde o Marketing e as Relações Públicas até à Moda e a Literatura.

Claro que toda a turma descobriu o site, depois disso o problema era encontrar algo “diferente”.

Mais tarde surgiu a Biblioteca do Conhecimento Online, mas a BOCC continuou a ser uma referência importante.

4 thoughts on “Como eu descobri o melhor recurso de bibliografia online para comunicação e relações públicas”

  1. A BOCC parece-se ter abrandado a divulgação de novos trabalhos: ou a UBI está a produzr menos ou os gestores do site não se estão a aguentar… Mas continua a ser uma fonte previligiada de boas leituras e pesquisas.

    A B-On é útil mas por vezes ainda tenho alguma dificuldade em usar. O ISCTE deu uma pequena acção de formação aos seus alunos acerca de como usar as bases de dados e de pesquisa (entre as quais a B-on). Acho que o ISCSP devia seguir o exemplo.

    O ISCSP assinou a Proquest e tenho encontrado lá algumas coisitas boas também. Mas tem o problema da subscripção: em casa não posso ver nada, só nos computadores da faculdade.

    Esporadicamente, quando o objectivo é mais pensar do que fazer, leio alguns artigos do Observatório de Imprensa.

  2. Sim, penso que a subscrição foi feita no início deste ano lectivo. Pelo menos no ano alectivo passado ainda não tinha ouvido falar. Este ano é que começei a ouvir com mais frequência os meus colegas a falarem nesse recurso.

    Lembrei-me agora que o catálogo da biblioteca do ISCTE não é mesmo nada de desprezar assim como os recursos de bases de dados que eles lá têm nos computadores…

Leave a Reply