Introdução à Web 2.0

Depois deste post, nunca mais voltas a ver a web da mesma forma. E isso é garantido, lê até ao fim se não acreditas.

Para começar, a web 2.0 chama-se assim porque mudou a forma como a usamos para comunicar. O primeiro modelo era simples, o webmaster comunicava com os visitantes. Hoje em dia o webmaster cria as condições para que o diálogo se processe entre os visitantes.

Mas a web 2.0 não é só isso. É ainda uma série de tecnologias novas que nos permitem duas coisas. Partilhar a informação que encontramos e produzir conteúdos novos sem precisar de conhecimentos técnicos.

Na área da tecnologia, estamos a falar de RSS, e de aplicações online que podem ser usadas em qualquer sistema operativo por exemplo. Estas tecnologias foram usadas para uma série de fins, desde fotos, processadores de texto, blogs, serviços de e-mail,vídeos e podcasts

Mas acho que o melhor é mesmo a possibilidade de qualquer um pesquisar temas, criar conteúdos e partilhá-los sem esforço. O processo tornou-se tão simples que até um telemóvel pode ser uma ferramenta de blogging, podcast, ou videocast. E os requisitos técnicos baixaram tanto que a idade mínima para um blogger é 8 anos.

E claro, com tantos produtores de conteúdos cria-se um problema de credibilidade e legitimidade para abordar alguns temas. Ligado à qualidade dos mesmos conteúdos. Para isso existem várias métricas, como a quantidade de links e o número de subscritores que são as mais recentes. Algumas métricas mais antigas, como o número de visitantes e as impressões de página ainda são relevantes. Mas estas últimas não medem a influência nem a caracterizam como positiva ou negativa.

Na minha visão da web 2.0 o importante é a produção de conteúdos e a forma como se gera opinião. E ainda a forma como podemos aproveitar a web para criar conhecimento em colaboração uns com os outros. Seja na figura da wikipédia, ou através dos blogs que vão definindo a web 2.0.

É claro que não está tudo dito sobre a web 2.0, mas parte da ideia é essa. Como está de tal maneira ligada à nossa vida em sociedade, a web 2.0 vai evoluir com ela. Isso é cada vez mais visível nos meios de comunicação. Quando os jornalistas optam por criar blogs, quando os blogs são citados ou quando os vídeos de cidadãos comuns são divulgados em telejornais.

E a melhor parte? Não precisas de fazer nada. A web 2.0 foi calmamente instalada no teu sistema à medida que leste este artigo. Para receber os upgrades basta ir participando. E isso é fácil. Comenta nos blogs, diz o que pensas dos vídeos que encontras, colabora na wikipédia, ouve podcasts. As próprias redes sociais como o hi5, o facebook e outras semelhantes usam os conceitos de web 2.0.

Mas como já alguém me disse: se nos limitar-mos a ao hi5 e a redes semelhantes, é o equivalente a estarmos fechados no quarto. Porque é mais do mesmo, não aprendemos nada de novo nem descobrimos coisas novas.

Leave a Reply