Linux não é para todos, mas dava jeito a muitos

Há algumas semanas o Windows mostrou-me pela milionésima vez um écran azul com um erro que não consegui traduzir. Perdi imensos dados e decidi instalar Linux, mais por despeito do que razão válida.

Hoje cedi e estou a preparar-me para instalar novamente o Windows XP. No entanto, a experiência ensinou-me coisas que achei por bem partilhar.

Decidi-me por instalar o Linux Kubuntu porque já tinha visto referências no blog quintal do xanato. Foi também por comodismo, já tinha feito o download do Kubuntu porque não obriga o utilizador a instalar o sistema operativo para experimentar.

Tenho tudo o que é música e vídeos num segundo disco, o problema é que deixei o Windows formatar esse disco (como NTFS). O Linux só conseguia ler os 95Gb de conteúdos o que tornou impossível converter esse disco para que os dois sistemas operativos o possam usar a 100%.

No caso do photoshop eu já contava com a necessidade de ter o Windows a correr numa secção desse segundo disco. O problema maior foi perceber que o iTunes é intransigente e que nenhuma das alternativas para Linux lhe chega aos calcanhares.

Mas vamos ser sinceros, nem toda a gente precisa destes dois programas. Para utilizadores menos exigentes, linux seria perfeito em muitos aspectos. Basta um browser familiar (firefox), uma suite de aplicações de office (openoffice). De resto, podemos dispensar o antivírus e ter menos preocupações com adware e spyware. O kubuntu já traz uma série de aplicações para ver vídeos, ouvir mp3, gravar CDs e dvd’s etc.

E para aquelas situações em que o computador deixa de funcionar… é fácil re-instalar os módulos afectados sem perder a informação do disco.

One thought on “Linux não é para todos, mas dava jeito a muitos”

  1. Eu cá continuo a dizer que a Caixa Mágica é melhor… tem também já tudo instaladinho (mp3, video, divx, tv, etc) e é um projecto Português o que poderá facilitar a assistência técnica em foruns totalmente portugueses =)

Leave a Reply