Moleskine: relações públicas versus publicidade

moleskineCostumo ler o blog de Estratégias de Comunicação do ISLA. Na quinta aula, falou-se de Relações Públicas em contraponto com a publicidade. Há algumas pequenas coisas com as quais não concordo. Mas adorei o último parágrafo:

Objectivos para os alunos:

Construir um texto (sobre um caso real ou fictício) de impacto de relações públicas (ou seja, em que a marca se projecta publicamente sem recurso a publicidade)

Relacionei automaticamente aos moleskine e ao papel que os blogs tiveram na divulgação e subida da procura.

Como Produto

O Moleskine não tem nada de muito especial. É simples, tem um elástico, papel de boa qualidade, uma bolsa na contracapa…e pouco mais. Ok, aceito se me disserem que é giro ou elegante. Mas como é que isto ganhou a atenção dos consumidores?

David Allen, Produtividade Pessoal e Blogging

Nem toda a gente tem um portátil. E nem todos os que têm um portátil andam sempre com ele. Juntem a isto o facto de nem toda a gente ter ligação sem fios à internet. (As ofertas das redes moveis ainda agora chegaram…).

É por isso que os bloggers se foram interessando cada vez mais pela sua produtividade pessoal. No trabalho, no blog e na sua vida familiar. Dai o sucesso de sites como o Lifehacker, livros como o de David Allen e do moleskine.

O Poder da Comunidade

É fácil de aceitar que existe uma comunidade de bloggers, mesmo que se divida por temas, ideais, localização geográfica etc. E nas comunidades o fenómeno de imitação é sempre um bocadinho maior. Através do lifehacker e websites semelhantes, os bloggers foram trocando ideias de produtividade pessoal e acabaram por adoptar o moleskine. Dai que não seja de estranhar ver bloggers a reconhecer-se pelo caderno preto e a encontrar-se nos pontos de venda.

Não foi preciso qualquer tipo de publicidade, bastou o diálogo entre pessoas que partilhavam um hobby.

2 thoughts on “Moleskine: relações públicas versus publicidade”

  1. Acho que o caso da Moleskine é mais profundo do que isso. A Moleskine tem uma história repleta de utilizadores famosos, especialmente na área da literatura, isto tudo numa era pré-Net.
    A mítica da Moleskine apenas foi trasnportada para o universo OnLine e adoptada por uma nova comunidade, mas mesmo os pioneiros desta adopção (os tais que foram ‘imitados’) também eles foram imitadores.

  2. Sim, é um facto.

    Sem essa história de como o moleskine começou e o aval de artistas famosos. Será que o caderno se tinha tornado tão famoso?

    Acho que podia não chegar ao nível que tem hoje, mas é provável que ficasse perto.

Leave a Reply