O Bom Webdesign

Vou falar dos padrões web defendidos pelo w3c, e da importância das questões de acessibilidade web. O objectivo é explicar como todos podemos beneficiar de bons websites e tentar sensibilizar os profissionais de relações públicas e marketing para o tema.

A forma ideal de criar um website, é separando o conteúdo (texto e imagens) dos elementos de design. Sempre usei este método e defendo-o como ideal. Mas além disto, é bom que o site passe este teste : http://validator.w3.org/ .

A questão que surge é saber quais são as vantagens deste método para os webmasters e visitantes. Para começar, usar código válido permite que o site seja bem apresentado em qualquer suporte, seja ele um telemóvel, um computador ou um PDA. Alguns sites ficam distorcidos no Internet Explorer e aparecem perfeitinhos no Firefox. Não vou falar muito no assunto, o que está em causa são erros na forma como o Internet Explorer traduz o código que recebe. No entanto é possível corrigir esses erros, prova disto é o meu próprio site.

Só separando o conteúdo (o HTML) da apresentação (o código CSS) é que podemos esperar construir um site visível por qualquer meio… mesmo browsers para invisuais. Isto são as questões de acessibilidade. Aqui entra em jogo a apresentação do conteúdo de forma lógica, como a página de um jornal. No HTML podemos colocar em primeiro lugar o conteúdo principal de uma página. No final colocamos o cabeçalho, rodapé e outros elementos que são menos importantes. Fazemos isto quando queremos facilitar a vida a quem visita o nosso site através de um browser que só exibe texto. Aplica-se o mesmo quando queremos melhorar a forma como os motores de busca indexam o nosso site.

E claro, quanto melhor o nosso site ficar indexado, mais visitantes temos.

Agora, especialmente para o pessoal de marketing, fazemos isto porque no final de contas….estamos a criar um website que fica mais barato ao cliente. O site dura mais tempo porque não deixa de ser compatível com o internet explorer, firefox, ou qualquer outro suporte. Além disso, separando a apresentação do conteúdo, podemos ter mecanismos para que qualquer pessoa possa actualizar o site. Dai que os blogs sejam tão populares. Estamos novamente a poupar porque não temos de pagar ao webdesigner só porque é preciso alterar um parágrafo de texto.

Outra razão que leva a uma poupança maior é a facilidade com que salvaguardamos o conteúdo sem danificar o design e vice-versa. O conteúdo é guardado numa base de dados e pode receber vários usos. Pode ser apresentado através do browser, enviado por e-mail sempre que o site é actualizado, impresso sem imagens desnecessárias… e muito mais.

Pode dar trabalho, mas é este tipo de esforço que distingue o bom do mau e que vai dar valor acrescentado ao cliente.

Para quem quiser aprofundar o tema, fica o site a list apart.

Leave a Reply