Os blogs não publicam notícias

A principal diferença entre os blogs e os jornais online está nas notícias. Os blogs não publicam notícias porque muitas vezes se limitam a publicar um fragmento de informação e o respectivo comentário. Sem experimentação, sem investigar e sem relacionar com outros factos.

Quando vemos alguém a publicar mais do que um fragmento de informação é que podemos falar de pro-blogging. Um exemplo claro de um fragmento destes é a “noticia” de uma actualização de software muito usado. Seja o Firefox, o Internet Explorer ou outro semelhante.

O blogger visita duas páginas, recolhe a informação e publica-a em qualquer coisa como “O programa foi actualizado e as novidades são…”. Não há nada de nocivo neste tipo de post. Mas quando toda a blogosfera repete a mesma informação, torna-se aborrecida.

É fácil perceber porque é que isto acontece. Alguns blogs recorrem a publicidade para tentar obter rendimento, e a única forma de atrair visitantes é criando conteúdos. E é isso que tentam fazer, ao descobrir a mínima informação sobre um programa, um novo gadget ou um evento, publicam alguns parágrafos. Nesta situação alguns blogs nem apresentam temas relacionados ou opinião.

E é nisto que se distingue o trabalho de um jornalista do trabalho de um blogger. Ao primeiro é imposta uma fasquia de qualidade de conteúdos. E enquanto um blogger pode publicar informação e actualizar mais tarde ou seguir os comentários, um jornalista publica e de seguida prepara-se para qualquer consequência.

8 thoughts on “Os blogs não publicam notícias”

  1. Não concordo nada.
    Duvido que actualmente seja imposto qualquer fasquia de qualidade de contêudos nos jornais – em quase todos os jornais.
    Penso que isso sucedia há uns 10/15 anos.
    Actualmente, não.
    A fabricação de pseudo notícias é uma constante, nos meios de comunicação social e não só nos “correios da manhã” que andam por aí.
    Pessoalmente confio muito, mas muito mais na informação que me é dada por bloggers do que por jornais especialmente na parte técnica.
    Penso que este post está certo num certo entido , algo restrito, mas não na visão geral – global – da comunicação.
    Além disso algo ressalta do post que merece ser analisado.
    Os jornalistas não tem motores de busca e Google page rank a pressionar o seu trabalho em termos de mandarem cá para fora conteúdos- tem antes outras formas de condicionamento que estão a não impor a tal fasquia de conteúdos.
    Isso é muito mais danoso para a credibilidade do jornal/meio de comunicação, do que os blogs replicarem a noticia firefox faz upgrade.
    Alé do mais Bruno, existe outro problema. Se um blogger faz um post “pesado, informativo, analítico” quem o lê?
    O “canal” de distribuição é algo adverso a isso.

  2. E esqueci-me de dizer que o pormenor do sitio para por o email está muito bem feito.
    devias aproveitar e fazer o mesmo quanto ao nome e quanto ao site, em quadrados iguais ou colocados uns ao lado dos outros ou uns por cima dos outros- como ficasse melhor

  3. Compreendo que não concordes e sei que falei num sentido muito restrito. Refiro-me aos blogs que se preocupam mais com o tráfego do que com os conteúdos (que conseguem ser bastantes) e salvaguardo o papel dos pro-bloggers. Aqueles que chegam a praticar jornalismo cívico.

    Quanto à qualidades das notícias em jornais, isso é sempre discutível. No entanto os jornalistas são obrigados a ter carteira de jornalista. Os bloggers podem até assinar nomes falsos.

    De qualquer modo, a qualidade a que eu me refiro está mais no processo de criação de conteúdo do que na responsabilização. Por menos isenta que seja uma notícia ela é redigida por alguém que está em estágio ou possui formação em comunicação.

    E estou de acordo contigo numa coisa, os bloggers têm vindo a conquistar cada vez mais credibilidade.

  4. Bruno: processo de criação de conteúdo. Ok, concedo, mas os “meios” ao dispor do jornalista são apesar de tudo muito superiores aos de um blogger.

    Eu não critico por aí além o blogger que assine com pseudónimo – parece-me uma falsa questão.
    E a carteira de jornalista, começa a valer pouco. Pessoas como Luís Delgado são jornalistas (caso tenha carteira), coisa que começo a duvidar?

    Mas de qualquer forma eu penso que a tua critica era um recado especifico, ok…entendi-te…(julgo que sim, pelo menos….)

    Quanto aos blogs que se preocupam com mais tráfego, enfio o chapéu e a carapuça. Passo os dias de vassoura na mão a enxotar os milhares de visitantes que invadem lá o Argos e sujam a alcatifa. Que aborrecimento…

    Sempre a quererem canapés de salmão como acepipes…
    :-)

  5. Bolas, com essa mataste-me. Não é assim tão especifico? É para mim?

    :-)

    Mas agora a sério: concordo que a blogosfera pode ser mais. Aliás a blogosfera portuguesa é uma coisa que não tem explicação. A tendência – detestável – de se tentar criar uma primeira divisão de blogs e o resto, é do pior.
    E não me refiro só a audiências.
    Existem blogs de conteúdo ridículo ( quer dizer mais do que o meu…) com “audiências” fenomenais sem que se perceba bem qual é a razão de ser daquilo…

    E quanto a questão ainda do outro comentário em cima, quem é verdadeiramente pro blogger aqui, no pantanal? Há Algum?

    O que eu começo, pessoalmente a ver são capelinhas e pessoas a tentar condicionar blogs mais pequenos.
    Que regra geral tem melhores conteúdos, ou pelo menos, conteúdos mais honestos do que as capelinhas.

    E sinceramente volto a minha: os jornalistas(embora por pressões internas e de contrato de trabalho que tem,etc) estão muito mal na fotografia.
    Existem jornalistas em blogs péssimos. Ou péssimos jornalistas em blogs, como se queira.

    E podia realmente ser outra coisa. Por exemplo, acho ofensivo à inteligência de qualquer pessoa que um blog como o do senhor Pacheco pereira tenha as audiências que tem, ridículo.
    Um blog sem conteúdo nenhum. Sem lógica nenhuma excepto o autor demonstrar que tem muito ego.
    Péssimo.

    E há outro aspecto: esta vaga de intimidação sobre blogs desencadeada pelo governo não traz nada de bom.
    Por exemplo, qualquer dia no Planet geek,se se deixarem as coisas avançarem vocês são censurados por falarem de Linux, enquanto o Estado português compra Microsoft…

  6. Não sei quanto aos outros, mas eu publico coisas originais…
    Para quem, por exemplo, está num agregador de blogs e se vê a mesma coisa over and over, vai dar ao resultado da pessoa não ter mais interesse no(s) autore(s).

    Rui

    PS: gostava de te ler a falares sobre telemarkting na venda de cartões de crédito (sim, trabanho na área… lol).

Leave a Reply