A morte do Gatekeeper

De forma simples, Gatekeeping é o processo de selecção do que é noticia. Envolve vários elementos da redacção, desde os jornalistas ao editores. Os factores mais comuns nesta selecção costumam ser o Interesse Do Público, o Interesse Público, o espaço disponível entre outros como por exemplo a linha editorial.

É difícil fazer o conteúdo de um press release chegar ao público nestas condições. E hoje em dia o clima de gatekeeping está a mudar. Sites como o digg.com e o doMelhor.net dão ao leitor a opção de votar as notícias e os posts dos blogs. Podemos considerar que esta é uma forma mais democrática de gatekeeping.

Mas os conteúdos mais votados nem sempre são os mais importantes do dia ou da semana. Hoje, o digg mostra que o conteúdo mais popular é um vídeo de alguém a jogar computador, em linux, com um écran sensível ao toque. No site doMelhor.net, a noticia com o titulo Caso Oeste Digital levanta a questão: quem fiscaliza os dinheiros do POSC? é a que tem mais votos.

Entrar para a primeira página do Digg costuma ser a sorte grande para muitos blogs. Implica uma subida automática no número de visitas. É muito provável que o doMelhor.net tenha um potencial semelhante, ainda que mais reduzido.

Neste contexto, o gatekeeper torna-se numa personagem que se expande para lá das redacções. Tanto quanto sei, os jornais portugueses não estão a tomar qualquer medida para lidar com esta nova selecção de notícias por parte do leitor. Da mesma forma, não conheço agências de comunicação que tentem contactar com os novos media. Acho uma pena porque pelo que se vê das novas tendências de SMO, e de incentivo à criação de conteúdos por parte dos cidadãos, os jornais têm muito a ganhar.

No campo das relações públicas, é uma boa ideia lançar o link de um press release ao digg.com ou ao doMelhor.net . Mas é uma péssima ideia forjar as votações para que os nossos links cheguem ao topo. Este tipo de manobra é pouco ética e normalmente acaba por ser descoberta. É o chamado Astroturfing. Este e outros temas relacionados ficam para outra oportunidade.

2 thoughts on “A morte do Gatekeeper”

  1. Na empresa onde trabalho com marketing online costumamos dar alta dos releases em sites como digg e notamos que isso não só melhora o tráfico imediato como indiretamente o posicionamento nos sites de busca.

  2. Caro Bruno, achei muitíssimo interessante o teu blog e o subscreverei para receber as atualizações regularmente. Gostei especialmente do visual clean, que combina com o texto objetivo.

    Aproveito para convidar a conhecer meu blog também que trata de assuntos diversos da comunicação, além de tecnologia, cultura e política.

    Abraços, saúde e sucesso!

Leave a Reply