Conversas da Unicer sobre a Blogosfera e as Relações Públicas

conversas da unicerO diálogo entre os bloggers começou no twitter e em menos de uma hora espalhou-se para o Zone41 e para o Planet Geek.Trata-se de uma conferência sobre relações públicas e os blogs, patrocinada pela Unicer que pelos vistos foi descoberta por mim antes do tempo. Quando a vi ainda não tinha conteúdos finais e nem me apercebi ao certo do propósito.

A nmz.pt reagiu depressa e começou a preencher o site com o conteúdo final. Isto tudo em menos de duas horas, se não me engano.

Trata-se portanto de uma conferência onde se coloca a questão: “A blogosfera, um problema para as empresas ou um novo universo para as Relações Públicas?”

A conferência tem uma série de oradores interessantes Bruno Giussani , António Granado , Eduardo Correia , Luís Paixão Martins , Maria João Nogueira e Paulo Querido.

Os problemas surgem no que diz respeito ao timming, à altura da conferência e à forma como colocaram a pergunta. Em vez de se referirem à blogosfera como um possível problema para as empresas, porque é que não se referem à blogosfera como um desafio?

É um detalhe mínimo mas que influencia bastante a postura dos bloggers face ao evento.

Mas a minha pergunta é: a quem se dirige esta conferência? Não sei se os bloggers são o público principal que a Unicer está a tentar atingir. Afinal de contas é um evento marcado para uma tarde de quinta-feira (10 de Abril de 2008).

O site está previsto estar concluído esta sexta feira, dia 28. Parece-me um prazo muito curto para reunir inscrições, mesmo com a exposição que se tem visto nos blogs.

Da minha parte adorava estar presente, mas como outros bloggers que conheço: eu sou trabalhador a tempo inteiro.

Mas em geral, acho a iniciativa positiva. O meu medo é que a Unicer não consiga estimular o diálogo sobre a blogosfera por se referir a ela como um possível problema para as empresas. Vamos ser realistas, esta conversa não pode ser da Unicer, deve ser de todos.

E também não nos podemos esquecer que a Unicer está por trás do concurso de Super Blog da Super Bock. Novamente, foi uma incitiva que também deu os seus passos em falso.

Como última nota, agora já percebo a frase de Luís Paixão Martins no Lugares Comuns.

Ora a verdade é que, no contexto actual, este é um daqueles temas sobre os quais temos mais perguntas do que respostas.

Pois fiquem sabendo que a sempre atenta Joana Queiroz Ribeiro, da Unicer (LPM), nos vai dar a oportunidade de participarmos, em breve, numa ampla discussão sobre este assunto.

14 thoughts on “Conversas da Unicer sobre a Blogosfera e as Relações Públicas”

  1. Faltou aqui o link para o site da Unicer.

    é curioso que na secção Blogoesfera, onde têm referências a artigos sobre a blogoesfera, há apenas uns quantos de 30 de Janeiro

    Parece que essa foi a data em que a selecção foi feita e desde então mais ninguém tem estado atento ao fenómeno dos blogs para actualizar e o site é lançado assim, com dados antigos.

  2. Obrigado pelo reparo Sérgio, já corrigi a falha.

    Quanto ao detalhe dessa secção, não me apercebi. Pessoalmente estou a adorar ver como a conversa se está a espalhar e com a nmz está a reagir (foram rápidos a colmatar as falhas de conteúdo apesar de tudo). E noutra perspectiva é interessante dissecar o website e a estratégia de comunicação.

  3. Caro Bruno Amaral e Sérgio Rebelo,
    O Conversas Unicer está com um erro no relógio. Basta ver alguns posts para perceber que os assuntos são posteriores a 30 de Janeiro. Por exemplo, a referência à notícia do Público, o link ao seu post sobre a Euroblog2008 e o comentário sobre “The State of the News Media 2008. A intenção do blog é postar diariamente a partir do momento que vai para o seu endereço (www.conversasunicer.net). Este blog vai fazer a cobertura das Conversas para as pessoas que infelizmente não podem lá estar e continuar para além dessa data. Esperamos contar com a vossa crítica e com as vossas opiniões.

    Com toda a consideração,
    Nuno Almeida

  4. Tem toda a razão caro Nuno, os posts estão com a data de 30 de Janeiro mas referem-se a assuntos posteriores. Peço desculpa então pelo comentário. Deveria ter visto com mais atenção os artigos referidos e perceber isso. Arranjem o relógio então, por favor :)

  5. Nuno, obrigado pelo comentário. Mas o meu argumento mantêm-se: para uma conversa sobre blogs, estão a deixar os bloggers de fora dando pouco tempo à discussão e realizando a conferência a meio da semana.

    E só se espalhou como se viu por eu ter divulgado a morada no twitter. Se não tivesse sido isso, provavelmente ia passar despercebida até o ínicio de abril. Só nos ia restar comentar a conferência depois de saber os seus resultados.

    É uma iniciativa que tem muito potencial e vista de fora não me parece estar a ser devidamente aproveitada.

  6. Bruno Amaral,
    Faltam 15 dias (mais hora menos hora) para a conferência. A ideia é ela ser , tal como o blogue, um momento de uma discussão. Vamos convidar o máximo de bloggers possíveis e todos os participantes, menos o Eduardo Correia, são bloggers. Esta é uma das primeiras iniciativas que se fazem sobre o assunto em Portugal, mas felizmente não é a última. E como o seu blogue tem provado isto é um assunto com futuro. Vamos, com a vossa opinião crítica, fazer o melhor possível.

  7. Para quando estava prevista a divulgação do blog? Não estou a ver a LPM a planear só 15 dias para divulgar este género de iniciativa.

    E apesar de serem bloggers, foram bem escolhidos. Aposto que não vão colocar as empresas em causa e que vão defender os blogs como novo canal de diálogo. A LPM estando envolvida na organização do evento e participando através do Luís Paixão Martins consegue também alguma divulgação do trabalho que anda a fazer online.

    Nuno, gosto da ideia das Conversas Unicer, mas está a faltar alguma transparência.

  8. Olá Bruno,
    Nossa fiquei mesmo atrasada nessa notícia. E agora fui ao site e não consigo aceder. Já estava a espera dessa “discussão” há muito tempo pois o Luís Paixão Martins já a tinha mencionado no blog por pelo menos três vezes.

  9. Olá Bruno,
    Estás enganado, a transparência é total. Até fomos construindo o blog numa área de trabalho aberta e linkando blogs. Vejamos esta iniciativa como um bom passo nesta discussão, na qual já participam, há muito tempo, muita gente como o Bruno e outros. Dando informações novas e relevantes. As Conversas são mais um esforço que tenta contar com a energia e a criatividade deste processo de criação e discussão de ideias em permanência que é a blogosfera.

    Abraço,
    Nuno

  10. Nuno, não me parece que isso torne a transparência total. Mas é um bom começo.

    Para aumentar a transparência podem fazer uma série de pequenas coisas importantes. Uma delas seria esclarecer a relação de agência-cliente que existe entre a LPM e a Unicer.

    Não é por a informação ser pesquisável que se torna de conhecimento geral, por isso convém assumir os factos. Principalmente quando um dos oradores é Luís Paixão Martins.

    Da mesma forma, na participação nos blogs. A ligação com a LPM só se percebe pela morada de email. Para os leitores és apenas mais um membro da organização do evento.

    Outra acção interessante, teria sido começar a divulgar as intenções do terceiro Conversas da Unicer há uns meses atrás. Assim dava-se a oportunidade aos bloggers interessados de enviar sugestões e contributos a tempo de se porem em prática. Nos moldes actuais as conversas da unicer estão a ser completamente dirigidas para focar o crescimento dos blogs, os esforços da unicer, e o papel da LPM como agência de comunicação.

    Para quem está de fora a transparência nunca é total Nuno. Mais que não seja por resultado das diferentes perspectivas. O que podemos fazer é criar mecanismos para melhorar a transparência.

  11. Olá Bruno,
    Creio que o papel desta Conversa é lançar pistas para um universo de comunicação em crescimento, com regras próprias e ainda muito desconhecido pelas empresas portuguesas (a blogosfera).
    Sobre a LPM, limita-se a participar na organização deste evento e da sua mediatização.
    Se a conversa for interessante, penso que conseguirá motivar outras iniciativas. O que dará uma pequeníssima ajuda às empresas e outros agentes (comunicação social, academia,empresas) a começar entender uma forma de comunicação substancialmente diferente dos modelos dirigistas e sem interactividade que caracterizam os meios clásicos de comunicação social .
    Quero-te agradecer as críticas e sobretudo o esforço de ir discutindo estas questões num contexto em que estes assuntos ainda têm muito pouca divulgação.

    Abraço,
    Nuno

  12. Isto não passa de uma palhaçada total “UNICER A CIMA UNICER ABAIXO” e ninguém esta a par de nada com um presidente condecorado o melhor gestor do pais oooh catita mesmo, até deve ter ficado todo babado, agora congela salarios anda armado em bomzinho e a pagar fortunas para ajudar o futebol para fazer publicidade a um produto que é vendido por natureza e se reduzi-se ao valor dos produtos ou investisse na qualidade ora bolas onde quer ele chegar ou será que esta a carregar a conta e depois feixa a empresa, … bastava uma pessoa destas receber 15000 por mes nao mais que geria aquilo tudo, é assim o antigo presidente ganhava 75 000€ agora este fala-se em 125 000€, é assim sei que as coisas não estavam bem mas não tiveram a melhor atitude,…será que vamos ter mais uma carga de empregados no fundo de desenprego desnecessáriamente, reparem nisto esta provado que a pior gestão é o despedimento de pessoal para redução de custos, quer dizer mandou porta fora todo o conhecimento que foi adequirido ao longo de anos desde o fabrico até ao enchimento passando pelo laboratorio renovou a garrafa e a grade e até reduzio ao alcool para não ter que pagar tanto imposto ao estado, reparem so nestes promenores o dinheiro que se deitou fora e o que se vai perder a longo prazo desde as indemnizações aos custos inerentes para reduzir 886 mil euros em ordenados, depois agenda reuniões com os trabalhadores para dizer que a empresa está mal e o prejuizo que esta a ter agora que ja deve ser muito superior ao que está a poupar, será que justifica a limpeza que fez, deita as mãos á cabeça e reza umas ave marias e pode ser que isto passe.
    Para além destas indo aos promenores está a optar pelo serviço de empresas prestadoras de serviços, ou seja tinhamos empregados com emprego fixo e responsabilidade porque se saltassem fora do testo eram canalizados para outras secções e ninguem quer isso, agora trabalho exterior é quase como a mulher a dias “… não é meu se acabar a lixivia labo só com àgua…” desculpem mas isto é a minha revolta depois de conhecer esta empresa por dentro e por fora melhor que ele …. e ver que ninguem faz nada e deixam um anti-cristo deste gerir uma empresa que estava a dar grandes lucros onde toda a gente ganhava desde trabalhadores a consumidores.

Leave a Reply