LPM vs Strat na análise da campanha eleitoral

A Meios e Publicidade publicou uma notícia com o título Profissionais Chumbam Campanha Eleitoral de Lisboa.

Quanto ao que é dito, nenhum dos profissionais citado no texto mencionou que esta campanha chegou a usar o second life e o twitter como canal de comunicação. De facto f Foram iniciativas que tiveram pouco efeito. Excepto o Second Life que ganhou eco em vários blogs dando a conhecer a banda Produto Acabado.

Luis Paixão Martins optou por responder à notícia através do seu blog. Não encontrei reacções a essa notícia pelo google. Mas mais tarde surgiu outro post no blog com um e-mail de Jorge Marques da Strat.

Não sei quais são as dinâmicas por trás da notícia e das reacções à mesma. Mas a LPM teria beneficiado mais em apresentar argumentos opostos e que complementassem a notícia.

Se o tivesse feito, teria mostrado profissionalismo e incentivado o diálogo. De certeza que Luis Paixão Martins teria sido capaz de se destacar como mediador desse mesmo diálogo. Em vez disso, perdeu a oportunidade e mostrou os atritos que existem entre a LPM e outras empresas de Comunicação.

[update: clarifiquei o segundo parágrafo. A iniciativa do second life não fez parte da campanha eleitoral mas surgiu na mesma altura]

4 thoughts on “LPM vs Strat na análise da campanha eleitoral”

  1. Atenção que o concerto do Produto Acabado na ilha da Universidade de Aveiro nada teve a ver com campanhas eleitorais no Second Life. A campanha eleitoral de um dos candidatos no SL teve, parece, um concerto ao vivo, mas não foi esse.

  2. Pois, eu notei a gafe e foi por isso que rasurei parte do artigo. Pensava que tinha sido só um concerto. Como não encontrei a reacção ao evento de campanha não alterei os links.

Leave a Reply