Profissionais de relações públicas nos blogs

retirada do blog de luis filipe menezesJá se falou bastante do caso de Luís Filipe Menezes (LFM), de como o conteúdo do blog era em grande parte cópia directa da wikipédia. Ficámos ainda a saber que tinha um assessor a ajudar na gestão do blog.

Num post anterior, já expliquei porque é que um assessor pode ser útil neste género de blog.

Mas então o que é que falhou ?

Para começar a existência de um assessor não devia ser surpresa. Bastava uma página onde se apresentasse o perfil de LFM e os nomes da sua equipa com as respectivas funções.

Mas no conjunto, esse é apenas um detalhe da polémica. Do ponto de vista da comunicação o blog é pouco eficaz.

Com a actual disposição dos conteúdos até se torna difícil ler os artigos. Os conteúdos da barra lateral, como é o caso do arquivo, blogroll e outros links do autor, surgem no rodapé. E mesmo a escolha dos conteúdos mostra um distanciamento enorme entre LFM e os seus apoiantes.

Por vezes, LFM apresenta os e-mails que recebe dos seus apoiantes. Mas não lhes dá mais do que isso, não agradece o apoio, não esclarece algum detalhe, não acrescenta nada de novo, não comenta. Torna o blog muito unilateral. E o que faz um bom blog é o incentivo ao diálogo.

Eu sei que já proclamei a morte do blogroll. Mas no caso de um blog como o de LFM até fazia sentido ter alguns links para outros blogs políticos. O que não faz sentido é ter um blogroll muito longo a criar ruido na página principal, como era o meu caso.

A própria concepção dos conteúdos mostra falta de cuidados, como ficou provado. Mesmo que os posts fossem devidamente identificados como conteúdos da wikipédia, mostram pouca preocupação.

Optando por citar a wikipédia, o modelo ideal seria citar uma parte do texto. No final colocava-se um pequeno comentário construtivo ou relacionava-se com um tema mais actual.

Tomando por exemplo o Bombardeamento de Hiroshima:

Na manhã de 6 de Agosto de 1945, a Força Aérea Americana largou a arma nuclear Little Boy na cidade de Hiroshima (Japão), à qual se seguiu, três dias mais tarde, a detonação da bomba Fat Man sobre Nagasaki.

O aniversário do bombardeamento ganha mais importância ainda se tivermos em conta a questão nuclear no médio oriente.

A citação está devidamente identificada pelo design, há um link para a página original, coloca-se um comentário e da-se ao visitante mais informação opcional.

Leave a Reply