Verde Eufémia, o blog

O link chegou-me por um post no apdeites. O grupo responsável por destruir parte de uma plantação de transgénicos possui um blog na morada : http://eufemia.ecobytes.net/

O blog começou por ser usado para enviar um comunicado de imprensa antes da acção de desobediência civil, e agora tem vindo a mostrar as reacções na imprensa.

Como mecanismo de comunicação o blog podia ser aproveitado melhor. Para começar a única página adicional limita-se a definir o Movimento Verde Eufémia:

Não somos uma organização, mas apenas um grupo de cidadãos politicamente activos que simbolicamente mostraram o seu descontentamento perante à impassividade das autoridades competentes em evitar a contaminação transgénica. Esperamos que o debate acerca da ameaça que os OGM constituem para a saúde, sociedade e ambiente seja finalmente aberto e alargado a toda a sociedade portuguesa.

Estamos contactáveis através do nosso e-mail: verde.eufemia@hush.com

Há uma série de pontos que este blog podia abordar e não aborda. Podia tornar-se num centro de informação sobre a legislação de produtos transgénicos em Portugal. Em vez disso tenta incentivar a destruição de mais colheitas por outros cidadãos.

O segundo comunicado apresentado mostra as razões pelas quais estes cidadãos se organizaram. Mas no blog podiam ter-se criado páginas adicionais para responder a algumas perguntas básicas:

  • O que são produtos transgénicos ?
  • Que beneficios trazem e com que contrapartidas ?
  • Qual é a legislação em vigor para os produtos transgénicos em Portugal ?

Curiosamente, o segundo comunicado está rico em informação, mas as fontes são apresentadas sem link.

5 thoughts on “Verde Eufémia, o blog”

  1. O Bruno gente civilizada não faz aquilo que esses fulanos e fulanas fizeram. E tu estás preocupado com má estratégia de comunicação, deve ter pirado.

    Isso era como se os erros do Bush no Iraque fossem erros de comunicação.

    Bem sei que este blogue tem um pendor para a problemática das relações públicas e comunicação, mas era como se eu só visse o mundo como programador e não visse o resto que nos rodeia.

    Não consigo perceber como é que o senhor doutorando achou adequado cobardemente atacar o elo mais fraco naquela problemática, o agricultor médio, devia ter vergonha.

    Quanto ao que dizes em relação às fontes não enlaçadas para que cada pessoa possa avaliar por si da justeza dos riscos dos transgénicos, íamos ficar com mais dúvidas do que certezas, pois por cada fonte citada por um lado da questão, haverá seguramente muitas outras fontes (científicas claro) com opiniões diferentes nuns casos e com razões favoráveis ao uso de transgénicos como as suas capacidades acrescidas de matar a fome, a curto prazo. Tenho que admitir que tenho dúvidas e só espero que não se venha a descobrir demasiado tarde como no caso das vacas loucas (nesse caso com as rações à custa de ossos) que não se deva alterar muito os regimes alimentares consolidados ao longo de muitas gerações(, desde que os animais que comem actualmente trangénicos foram domesticados) .

    Desculpa mas hoje estou para os comentários quilométricos.

  2. Olá viva Bruno.

    Não é só o e Luís Filipe Menezes. Também não o fazes, bem sei que não tens que esclarecer, nada nem agradecer comentários.

    Um abraço

  3. Carlos, eu compreendo a tua posição. Mas se fores ver bem só passou um dia desde o teu comentário.

    Não respondi logo porque raramente o faço sem ponderar os dois pontos da questão.

    Quanto ao Verde Eufémia e o blog. Não concordo com o que eles defendem, mas concordo que adoptem um blog. E também compreendo que o mesmo apresente maioritariamente a informação que lhes interessa transmitir.

    Só acho pena que não exista um blog a fornecer o ponto de vista contrário para que as pessoas possam ter mais informação.

Leave a Reply